Qual a melhor ferramenta de automação de marketing no Brasil?

Analisamos as ferramentas de automação de marketing mais conhecidas no mercado brasileiro. Não há como cravar uma resposta sobre qual a melhor, mas é possível fazer uma análise em recortes, considerando preço e grau de sofisticação de cada uma delas.

Para efeito de equiparação, utilizamos as informações de preço disponíveis no site — sem considerar eventuais descontos obtidos em negociação — e nos baseamos numa empresa que tenha 10 mil cadastros (leads) em sua base. Todas elas oferecem custo unitário mais alto para bases menores — e mais baixo para bases maiores. Aplicamos a conversão de 3,3 de dólar para real (câmbio frequente em 2017).

Ferramenta Onboarding Mensalidade para 10.000 cadastros Grau de sofisticação
Eloqua Não é informado
no site
R$ 6.600
(US$ 2.000)
Avançado
Hubspot R$ 59.400
(US$ 18.000)
R$ 4.125
(US$ 1.250)
Avançado
Infusionsoft R$ 3.297
(US$ 999)
R$ 452
(US$ 137)
Básico
Leadlovers Não é informado
no site
R$ 370 Básico
MailChimp Não há onboarding R$ 264
(US$ 80)
Básico
Marketo Não é informado
no site
Não é informada
no site
Avançado
Mautic Não há onboarding Open Source
(gratuito)*
Básico
RD Station R$ 1.290 R$ 749 Básico
SharpSpring Não é informado
no site
Não é informada
no site
Avançado

(*) O Mautic é uma ferramenta de código aberto. Usando uma conta da Sparkpost, há gratuidade para 100 mil envios mensais. Acima disso, há custos relativamente baixos, mas há custos.


O onboarding, que aparece na tabela, é a taxa de implantação, que normalmente inclui um treinamento ou consultoria para o uso pleno da ferramenta. Nem sempre é cobrado — ou informado no site.

Consideramos três graus de sofisticação. O básico traz o kit de email marketing, landing pages, lead scoring, drip campaings e um ou outro recurso adicional. No outro extremo, o avançado vai além e proporciona recursos de business intelligence, gerenciamento avançado das bases e outros atributos que façam a automação se aproximar de um CRM.

Nossa análise sobre as ferramentas de automação de marketing

As ferramentas mais populares no Brasil são as mais básicas, pois costumam atender empresas pequenas ou iniciantes. Contribui para essa popularidade o fato de as ferramentas mais parrudas terem preços em dólar, o que as torna caras no mercado nacional. Competem por esse perfil:

  • RD Station: ferramenta brasileira que faz um excelente trabalho de marketing e branding. Com grandes aportes de investidores, consegue alcançar boa fatia do mercado. Tem uma legião de fãs e um evento forte. É uma ferramenta com bons recursos de email marketing e de automação, mas com limitações em relatórios e gestão de mailings. Muito do trabalho é feito com recursos primários, como Excel ou tags. Um recurso básico e antigo no mercado, como o teste A/B de emails, só foi implementado em 2017. Ainda assim, é a principal porta de entrada para iniciantes em marketing digital no País. Não tem um preço tão competitivo quanto o MailChimp, mas, em contrapartida, oferece suporte aos clientes. E tem ótimos materiais educativos.
  • Mautic: é a mais barata de todas as ferramentas, mas não se engane: é provavelmente a mais trabalhosa e, em alguns recursos, como agendamento de emails, a mais limitada também. Conforme explicamos em detalhes neste outros post, o Mautic é a principal ferramenta de automação de código aberto. Isso significa que não tem custo de instalação e é hospedada em um servidor contratado (normalmente a custo baixo) pelo próprio usuário. Como vantagem, tem recursos excelentes de relatório e fácil integração com qualquer outro sistema proprietário. Como desvantagens, tem o fato de demandar um acompanhamento de um profissional de TI, especialmente para instalá-la e solucionar eventuais problemas de uso — que às vezes surgem. E, do ponto de vista operacional, deixa a desejar num ponto crucial: não permite o agendamento de emails. Possui também uma versão comercial paga, cujo modelo (SAAS) se assemelha às outras ferramentas listadas neste post.
  • Leadlovers: surgiu no mercado brasileiro como alternativa para a RD Station, oferecendo mais ou menos os mesmos recursos e se destacando nas funcionalidades de affiliate marketing.
  • MailChimp: inicialmente, se posicionou como uma plataforma de email marketing, tornando-se uma das mais populares do mundo nessa categoria na última década. Em 2017, mudou o posicionamento para automação de marketing após implementar funcionalidades de inbound marketing. É de uso fácil e serve para iniciantes. Pelo próprio histórico, tem recursos excepcionalmente bons de envio de emails, como o agendamento de emails com base no horário de abertura mais frequente daquela base. Tem como grande vantagem o baixo preço e a facilidade de uso, mas lhe faltam alguns recursos próprios de automação presentes na RD Station e na LeadLovers, como o lead scoring, que é pouco abrangente.

Uma vez que as empresas evoluem em automação de marketing, as ferramentas mais básicas começam a deixar a desejar. Os gestores começam a demandar recursos mais sofisticados, como CRM, adequação do conteúdo às personas, usabilidade, múltiplos mailings e, principalmente, melhores dashboards de análise de resultados. Para essas empresas, as opções mais avançadas costumam ser as seguintes:

  • Hubspot: é a empresa responsável pela difusão do conceito de inbound marketing na era da internet. Tornou-se uma febre mundial, sendo hoje uma empresa de capital aberto. Normalmente, está na vanguarda da tecnologia nesse mercado. Pelo preço premium, acaba sendo mais contratada por empresas de médio e grande portes. Da lista de ferramentas apresentada neste post, seus concorrentes mais diretos são a Eloqua e o Marketo, mais popular nos Estados Unidos do que no Brasil. Todos eles têm na inovação — tanto de tecnologia quanto de usabilidade — um ponto forte. Talvez por isso sirvam de benchmark para as demais.
  • SharpSpring: é a solução recomendada para empresas com um nível mais avançado de inbound maketing, mas que não têm orçamento suficiente para as opções mais caras do mercado. Tecnicamente, a SharpSpring tenta acompanhar Hubspot e Marketo. Por ser uma ferramenta white label, é muito frequentemente adotada por agências de comunicação ou marketing. Uma vantagem para agências é o custo. Quando contratado o pacote para vários clientes, o preço acaba sendo comparável às ferramentas básicas.
Cassio Politi

Sobre o autor: Cassio Politi é fundador da Tracto. Implantou programas de content marketing em empresas do Brasil e em multionacionais. Autor do primeiro livro em língua portuguesa sobre content marketing, publicado em 2013, é o único sul-americano a compor o seleto júri do Content Marketing Awards. Desde 2016, é palestrante em eventos no Brasil e no Exterior, normalmente apresentando cases bem-sucedidos de seus clientes.

 

Este artigo foi originalmente publicado em 2 de janeiro de 2018 e vem sendo constantemente atualizado e enriquecido desde então.