ESPN americana já está imersa em podcast e conclui: é mais intimista que rádio e TV

ESPN americana já está imersa em podcast e conclui: é mais intimista que rádio e TV

by Cassio Politi abril 02, 2019
ESPN

A ESPN americana é mais um exemplo da força dos podcasts. Líder no segmento esportivo nos Estados Unidos, a emissora de TV e rádio mantém desde 2005 seus podcasts ativos em diferentes plataformas.

Steve Goldstein, radialista consagrado no mercado americano, entrevistou recentemente Traug Keller, que lidera os projetos ESPN Audio e ESPN Talent Office. Na conversa, publicada no site Rain News, Keller explica que o objetivo dos podcasts é o mesmo do grupo como um todo: “servir o fã de esporte em qualquer lugar a qualquer momento”.

Um dos podcasts de maior repercussão é o “30 for 30”, que tem 19 milhões de downloads por mês. Em segundo lugar, aparece “The Lebatard”, com 8 milhões. Em ambos os casos, o crescimento médio de audiência tem sido de 16% ao ano. São números expressivos se comparados à audiência de uma emissora de TV paga ou mesmo de rádio.

Na entrevista, Goldstein perguntou se a audiência do podcast tão expressiva não canibaliza a audiência da TV. Keller explica que, na verdade, é o contrário. Uma alavanca a outra.

“Se um espectador eventualmente perde o programa de TV, ele ouve o mesmo conteúdo no rádio do carro”, explica Keller. E aí está a vantagem do podcast. Não é preciso esperar o programa passar no rádio. Basta apetar o play no agregador de podcast.

Assim como acontece com ESPN e outras emissoras brasileiras, os mesmos participantes do programa em uma mídia aparecem na outra. Ainda assim, ponderou Goldstein, existem diferenças entre a linguagem de um programa de rádio e a de um episódio de podcast. Keller concordou com ele.

“Ambos são feitos para o ouvido, e as semelhanças terminam aí. Em podcast, o ouvinte está realmente no controle. E isso nos permite ser mais pessoais com os nossos fãs. Damos aos nossos talentos a oportunidade de se expressarem de maneiras que eles não podem agir no rádio. Não conseguimos ser tão profundos nos temas em um programa típico de rádio, que é sempre mais abrangente.”

É esse caráter pessoal e intimista, mas ao mesmo tempo com conteúdo aprofundado, que tem feito o podcast estourar no mundo todo, Brasil inclusive.

Takeaway

O podcast está ganhando força no mundo todo e a ESPN americana é mais uma prova disso. Seus programas têm dezenas de milhões de downloads semanais. Para o líder do projeto de podcasts dentro da emissora, Traug Keller, o podcast tem características que o diferenciam: é mais intimista e aprofundado do que rádio e TV.

Ouça este post

Você pode ouvir o conteúdo deste post no episódio #130 do podcast Takeaways.

Ouça o Takeaways também no Spotify, iTunes e Stitcher.∞

Cassio Politi

Sobre o autor: Cassio Politi é fundador da Tracto. Implantou programas de content marketing em empresas do Brasil e em multionacionais. Autor do primeiro livro em língua portuguesa sobre content marketing, publicado em 2013, é o único sul-americano a compor o seleto júri do Content Marketing Awards. Desde 2016, é palestrante em eventos no Brasil e no Exterior, normalmente apresentando cases bem-sucedidos de seus clientes.

 

Tags:

Related Articles