Campanha da Nike é banida do Twitter por violar regras de propaganda do Reino Unido

Uma campanha da Nike do Reino Unido foi banida do Twitter por decisão da entidade regulatória de propaganda local, a Advertising Standards Authority (ASA). A empresa usou contas pessoais dos jogadores Wayne Rooney e Jack Wilshere para promover a campanha Make it Count. A informação é do jornal britânico The Guardian.

A ASA veta qualquer propaganda disfarçada de conteúdo. A Nike deveria ter a evidenciado que os tuítes eram, na verdade, propaganda.

Tuíte deletado de Rooney
Tuíte deletado de Rooney

No tuíte que posteriormente seria deletado, Rooney disse:

“Minha decisão – começar o ano como campeão e terminar como campeão… #makeitcount gonike.me/makeitcount”

Wilshere escreveu:

“Em 2012, voltarei para meu clube. E estarei pronto para meu país. #makeitcount gonike.me/makeitcount”

Eles se referem a 2012 porque, diferentemente da América do Sul, o calendário esportivo da Europa e dos Estados Unidos começa no meio do ano.

Decisão
A ASA entendeu que o uso da hashtag #makeitcount e do link da campanha caracterizam a propaganda. Para evitar o problema, o correto teria sido usar também a hashtag #ad — equivalente a #anúncio ou #publicidade em Português. Em sua defesa, a Nike argumentou que os dois jogadores são reconhecidamente patrocinados por ela, o que já evitaria que seus seguidores fossem enganados.

A empresa alegou, ainda, que os jogadores retuítam ou respondem tuítes da marca a critério próprio. Entretanto, a entidade regulatória apurou que o conteúdo dos tuítes teve “o consentimento e a ajuda de um integrante do departamento de Marketing da Nike”.

Os anúncios da campanha foram deletados e a Nike foi proibida de promovê-los novamente.

Caso parecido
Em março deste ano, a ASA já havia investigado um caso similar. Na ocasião, houve na web denúncias de que a marca de chocolate Snickers teria feito campanha disfarçada de conteúdo neutro nas contas da modelo Katie Price e do jogador de futebol Rio Ferdinand.∞