Como órgãos públicos devem construir suas personas

Você precisa conhecer o perfil do público de cada ação de comunicação e dar a ele um motivo para as pessoas quererem acessar o seu conteúdo. Ser a fonte oficial não basta. O conteúdo tem como finalidade satisfazer as necessidades da população. Esta é a melhor forma de fortalecer a relação entre a instituição e seu público.

Mas, afinal, quais são as necessidades das pessoas quando se trata de conteúdo?

A melhor forma de se obter a resposta para esta pergunta é consultando as próprias pessoas. Utilize a técnica de construção de personas, que consiste em entrevistar o público e entender seus comportamentos, interesses e necessidades. A partir dessas entrevistas, cria-se um personagem que represente o público.

Instituições públicas têm normalmente diversos públicos de interesse. Nesses casos, é impossível criar um personagem que represente um grupo de cidadãos tão heterogêneo. Nesse caso, a recomendação é identificar grupos de interesse para determinadas ações ou situações e, então, desenvolver uma persona para cada grupo.

A escolha das pautas deve ser fruto de cinco forças que agem sobre a tomada de decisão dos produtores de conteúdo:

  • Perfil do público-alvo definido na etapa de construção de personas.
  • Prioridades da instituição;
  • Assuntos mais compartilhados pelos usuários naquele momento;
  • Postagens que historicamente geram maior interação;
  • Novos assuntos relacionados à instituição levantados no monitoramento.

Em regra, o usuário tem o hábito de navegar por mais de uma rede. Sua instituição não precisa estar em todas as plataformas digitais. Avalie se a persona está online e, se sim, em qual plataforma. Avalie quais os recursos necessários para utilizar cada plataforma.∞

Mais sobre o tema
Este artigo foi extraído do e-book "Redes Sociais em Órgãos Públicos", produzido pelos mesmos autores deste texto. O e-book está disponível para download gratuito.

Para produzir este livro digital, André Rosa e Cassio Politi estudaram 44 manuais e documentos relacionados a comunicação em órgãos públicos de oito países (Brasil, Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, País Basco, Austrália, Nova Zelândia e Nigéria).

O e-book foi lançado oficialmente no dia 27 de março de 2015. As principais anotações foram compiladas nele, composto de 13 capítulos, que deram origem a esta série de artigos publicados semanalmente aqui, no site da Tracto.

Leia mais
Veja todos os artigos publicados na Tracto relacionados ao e-book.∞


André Rosa e Cassio Politi são constituem a espinha dorsal do conteúdo da Tracto. Trabalham juntos desde 2003. Desde então, estiveram juntos em atividades de treinamento e consultoria em Revista Imprensa, Comunique-se e, desde 2011, Tracto. André é professor universitário e doutorando em Comunicação pela Metodista. Cassio é autor do livro Content Marketing - O Conteúdo que Gera Resultados e é o único jurado brasileiro do Content Marketing Awards, principal prêmio do mundo relacionado a essa atividade.

André Rosa
Twitter: @andremarmota.
Veja seus artigos na Tracto.
Cassio Politi
Twitter: @tractoBR.
Veja seus artigos na Tracto.