Trabalhando com content marketing em um time internacional

Chegou a hora do brainstorming da equipe. Todo mundo conhece essa situação: sempre tem aquela pessoa que fala demais, aquele colega que quase não participa e a pessoa que critica tudo o que foi apresentado. No momento de discutir projetos, cada um age de acordo com a própria personalidade, é claro. Agora, imagine ter que lidar com essa situação em um time composto por pessoas de mais de 20 países. Desafiador, não é mesmo?

Isso é rotina diária na equipe de Brand Marketing da Stylight. Discutir projetos quando ninguém fala, literalmente, a mesma língua, pode ser bem confuso. Mas indo além das barreiras linguísticas, há um fator que nunca pode ser desconsiderado ao trabalhar com Marketing de Conteúdo em times internacionais: cada membro da equipe sempre vai agir de acordo com a própria cultura.

É interessante notar que a cultura molda a maneira de se expressar, expor ideias e fazer críticas. De acordo com esse artigo da Harvard Business Review, colegas de trabalho norte-americanos, por exemplo, são de uma cultura mais coletivista, que exige participação em atividades em grupo desde que eles são crianças. Isso faz com que eles não vejam o debate de ideias como algo problemático. Já as culturas asiáticas vão mais de acordo com normas culturais de conformidade e harmonia, o que faz com que esses indivíduos encarem o próprio ato do brainstorming como desafiador. Os alemães, geralmente, são muito atentos a detalhes, enquanto os norte-americanos focam mais em ter uma visão geral do projeto na reunião.

Isso não significa que ter ideias em conjunto não pode funcionar. O estudo apontado no artigo confirma que quanto mais nacionalidades diferentes, maior é o pool de ideias. Aqui na Stylight, aprendemos a usar essas diferenças a nosso favor. Em 2015, produzimos a campanha dos Minionistas que ficou famosa no mundo todo. Basicamente o que nós fizemos foi transformar personalidades do mundo da moda em Minions. A ideia tinha, originalmente, um apelo global, devido ao lançamento do filme dos Minions.

Mas não demorou muito para que cada membro da equipe desse o seu pitaco. Os alemães da equipe estavam super atentos aos elementos de cada desenho, as expressões do rosto, as características na roupa de cada um deles. Já o time nativo de inglês (britânicos e norte-americanos) foi o responsável pela estratégia de divulgação nas redes sociais, com uma linguagem super divertida. Como se não bastasse, cada pessoa criou o seu próprio Minion. Para o Brasil, fizemos um da Costanza Pascolato. As equipes da Italia, Espanha, Suiça e outros países também fizeram.

O resultado disso? Em questão de dias, fomos citados em mais de 54 países, entre 11 Elle e 5 Cosmopolitan ao redor do mundo. A campanha teve um alcance de 80 milhões de pessoas e foi inclusive divulgada pelas próprias celebridades que foram minionizadas: Victoria Beckham, Karl Lagerfeld e Marc Jacobs. Essa foi apenas uma das campanhas em que o fato de sermos um time internacional pesou a nosso favor.

Quando se trabalha em um time com uma pluralidade cultural tão grande, é preciso aprender a lidar com as diferenças, ser tolerante, ouvir críticas e, principalmente, estimular a participação de 100% da equipe. Somente assim é possível atingir os melhores resultados. Para mais insights sobre como é trabalhar com diferentes culturas nesse artigo do blog da Stylight (em inglês). Veja abaixo as imagens criadas para esse artigo traduzidas para o Português.

Thalita Milan trabalha como gerente de Relações Públicas da STYLIGHT Brasil. A STYLIGHT é uma plataforma de moda com sede em Munique, na Alemanha, e que está presente em 13 países além do Brasil.

Saiba mais sobre a STYLIGHT Brasil:
stylight.com.br | Facebook | Twitter | Google+ | Pinterest | Instagram

→ Veja todos os artigos de Thalita Milan na Tracto.