Desejologia: sem objetivos claros, método nenhum funciona

Todo método de trabalho exige que se mantenha foco em objetivos e metas. A própria origem da palavra conduz a isso. Do grego, “methodo” é a junção de META- (atrás) com HODOS (caminho, rota via). Portanto, um caminho para se buscar a meta.

No mercado atual, a dificuldade de implantação de um método reside não exatamente na implantação das ferramentas de trabalho. Está na definição do objetivo. George Harrison, consagrado baterista dos Beatles, tinha uma frase lapidar:

“Se você não sabe para onde vai, qualquer caminho leva até lá.”

Quando a empresa decide implantar um plano de content marketing, qual o seu objetivo? “Quero uma página no Facebook”, é quase sempre a resposta. Perceba que foi perguntado o objetivo, mas a resposta trouxe uma ferramenta. O objetivo é — ou deveria ser — algo muito maior. A resposta esperada seria aumentar vendas, fortalecer a marca, reter clientes, posicionar a empresa ou algo dessa grandeza.

Uma vez estabelecidos os objetivos, aí sim se parte para a escolha dos melhores caminhos. Para isso, usam-se táticas. Redes sociais são uma opção de tática, que como tal inclui diversas ferramentas. Uma dessas ferramentas é a fan page no Facebook, que pode ser útil ou não, pode ser suficiente ou não.

Mas por que, afinal, o diretor quer tanto a página no Facebook? Ele não sabe exatamente. Talvez porque os concorrentes já tenham uma. Talvez porque fará bem para o seu ego. Talvez porque um sujeito disse durante o cafezinho que isso era importante. São conjecturas. A única certeza nesse cenário é que o diretor não está focado em seu objetivo principal, se é que ele tem um.

Desejologia
Se fosse uma doença, a falta de objetivos claros teria o status de epidemia. A maioria das pessoas não sabe o que quer, e isso não é de hoje. Em 1987, Kevin B. Kreitman, mestre em Sistemas Cibernéticos pela San Jose University State e Ph.D em Tecnologia Avançada pela Universidade de Nova York, lançou a primeira versão de um estudo chamado Want-ology. Em português, equivaleria a desejologia ― o estudo daquilo que se deseja.

Naquela época, ela (sim, Kevin é uma mulher) ajudava estudantes a fazer suas escolhas de carreira. Posteriormente, criou programas de treinamento presenciais e online para ajudar as pessoas a escolher o que elas querem.

A conclusão presente em um de seus estudos é esta:

“Nosso primeiro e maior obstáculo para conseguir o que queremos somos nós mesmos. Não focamos de verdade ou, então, focamos em coisas que, no final das contas, não nos fazem realmente felizes ou satisfeitos”.

Want-ology, portanto, procura ajudar as pessoas a desenvolver aquilo que elas deveriam ter fresco na mente: saber o que querem. E você? Sabe dizer de primeira qual o seu grande objetivo?

Cassio Politi

Sobre o autor: Cassio Politi é fundador da Tracto. Implantou programas de content marketing em empresas do Brasil e em multionacionais. Autor do primeiro livro em língua portuguesa sobre content marketing, publicado em 2013, é o único sul-americano a compor o seleto júri do Content Marketing Awards. Desde 2016, é palestrante em eventos no Brasil e no Exterior, normalmente apresentando cases bem-sucedidos de seus clientes.