Conheça a pirâmide de conteúdo do content marketing

Quando se fala em escolher táticas de content marketing, não há fórmula. Para alcançar resultados, cada empresa requer uma combinação única.

Mas um conceito pode ser aplicado a qualquer rotina de produção de conteúdo. Chama-se Pirâmide de Content marketing. É de autoria de Pawan Deshpande, CEO e fundador do Curata (www.curata.com).

Conheça a pirâmide de conteúdo do content marketing

O raciocínio é simples. Quanto mais próximo da base da pirâmide, mais frequente é básico é o conteúdo. Quanto mais perto do topo, mais raro e mais esforço exige.

Na base da pirâmide, está a curadoria de conteúdo. É aquele tipo de matéria em que você usa informações de terceiros para criar o seu próprio. Pode ser um texto traduzido ou uma mescla de diversas fontes, por exemplo. Citar as fontes sempre não é opção; é regra.

No patamar imediatamente acima vêm textos produzidos por você mesmo e publicados em um blog ou site corporativo.

No terceiro estágio, aparecem formatos que demandam uma boa produção. Infográficos, webinars e apresentações no SlideShare, por exemplo, são menos frequentes do que matérias escritas, exigem mais esforço e, em contrapartida, trazem mais resultados ― geração de lides, vendas, posicionamento etc.

No topo, estão as táticas que exigem imersão. Levam dias, semanas ou meses de produção. São papers e livros ― e-books e físicos. Esses não apenas posicionam, mas rendem ao autor o status de autoridade no assunto. E são muito raros.

Deshpande criou a Pirâmide de Content Marketing em 2010. Recentemente, voltou a escrever sobre o assunto no blog da Curata.∞