Como contratar um web designer freelancer?

Desginers freelancers têm sido uma opção cada vez mais frequente para empresas e agências que produzem algum tipo de conteúdo. Para não se perder na hora de contratar um profissional, vale seguir as dicas do infográfico abaixo, de autoria de Jay Soriano, publicado em julho de 2013 em seu site, o Soriano Media. Dessa imagem, extraímos e traduzimos o conteúdo que dá base a esta matéria.

Dicas para encontrar um bom web designer - infografico original - em ingles

Clique sobre o infográfico para abri-lo numa nova página no tamanho original.

Premissas
Três pontos precisam ser compreendidos antes de tudo:

  1. Designer e programador são atividades distintas. O primeiro cria bonitos layouts; o outro, desenvolve tecnicamente sites e aplicativos.
  2. Empresas pequenas e startups devem usar o designer para o lançamento rápido de um site visualmente bonito. No entanto, se for necessária uma plataforma toda customizada, um programador é mais recomendado.
  3. Se o site for todo baseado em conteúdo, gerenciadores como WordPress e Drupal são rápidos e baratos. O WordPress, por exemplo, era em 2013 usado por 18,9% dos sites que existem na web. Já se for um site de e-commerce, Shopify e WooCommerce são mais adequados. Startups com foco em internet devem considerar, ainda, Python ou Ruby on Rails.

Onde procurar
Evite sites que tragam um enorme catálogo que lembram páginas amarelas, como o Craiglist. Você terá dificuldade para avaliar a qualidade dos profissionais. Referências de terceiros e procura pelos resultados no Google (especialmente, os orgânicos)  tendem a funcionar melhor.

Job ou hora-homem?
Na negociação, certifique-se de tratar diretamente com o designer, e não apenas com o vendedor. Converse, ainda, com outros clientes daquele designer ou empresa.

Uma dúvida frequente é a contratação por job (preço fechado por serviço) ou por hora-homem (preço variável conforme o volume produzido). Quando usar um e quando usar o outro:

  • Job: quando for a primeira contratação, é melhor pagar por um trabalho apenas, que servirá como prova de qualidade. É uma alternativa adequada também para quem tem orçamento apertado, pois não gera o compromisso de pagamentos subsequentes. Vale, ainda, para quem sabe exatamente o que quer, precisando apenas da execução.
  • Hora-homem: é ideal para um trabalho recorrente, sobretudo quando já há uma relação de confiança estabelecida com o designer. Ou, ainda, quando você tem uma vaga ideia do projeto, mas o resultado final dependerá muito do empenho do designer.∞
Métricas de Mídias Sociais, Content e Inbound Marketing | Master Class | 9 de dezembro | São Paulo Saiba mais
Content Marketing Brasil: conteúdo incrível, online e gratuito! Inscreva-se