Home Definição de content marketing Qual a diferença entre meta e objetivo?

Qual a diferença entre meta e objetivo?

4 min de leitura

A diferença entre meta e objetivo é a base de muitas decisões relacionadas a estratégia de conteúdo e mensuração de resultados em content marketing. Mas é fácil compreendê-la:

  • Objetivo é a descrição daquilo que se almeja.
  • Meta é a tradução do objetivo em quantidade e prazo.

O dicionário Priberam reforça estas definições ao registrar objetivo como “aquilo que se pretende alcançar, conseguir ou atingir. Alvo, fim, propósito”. E meta como “poste ou sinal que, nas corridas de cavalos, nas regatas, etc., marca o ponto onde termina a carreira”.

De forma resumida, pode-se dizer que objetivo é uma descrição. E meta traz as respostas para duas perguntas ligadas ao objetivo: “quanto?” e “até quando?”.

Diferença entre meta e objetivo na prática

A diferença entre meta e objetivo é tão simples que um exemplo cotidiano é capaz de ilustrá-la completamente. Suponha que uma determinada pessoa de classe média tenha como objetivo enriquecer.

É possível compreender o propósito dessa pessoa, mas faltam parâmetros. Afinal, para Jorge Paulo Lemann, homem mais rico do Brasil, com patrimônio de US$ 27 bilhões, o significado de “enriquecer” não é o mesmo de um brasileiro de classe média. Por isso, a meta para a ambição do nosso personagem imaginário poderia ser algo como acumular R$ 3 milhões nos próximos três anos.

Vamos aplicar o mesmo conceito ao content marketing.

Para o gestor de uma empresa que usa técnicas de SEO, por exemplo, um objetivo para o site poderia ser destacar-se na busca orgânica no Google. E a meta seria alcançar a primeira posição nas buscas orgânicas para uma determinada palavra-chave até o final do próximo trimestre.

Outra situação ilustrativa — mas frequente — em content marketing diz respeito a inbound. Se o objetivo do time de marketing for aumentar as oportunidades de venda, uma meta coerente seria gerar 10% a mais de leads qualificados em comparação ao ano anterior.

Por que é importante para gestores?

Em livros americanos, é comum encontrarmos a fórmula SMART para definir objetivos. Ela foi criada em 1981 e foi amplamente difundida nos livros de Peter Drucker. Do trocadilho com a palavra “smart” (“esperto”, em português), vem o acrônimo formado pelas iniciais de specific, measurable, assignable, realistic e time-related.

Na prática, SMART significa que uma meta, para ser válida, precisa ser:

  • Específica e focada em apenas uma atividade (ou área).
  • Mensurável, com um indicador de desempenho objetivo e claramente definido.
  • Assinada, pois deixa está claro o responsável por alcançá-la.
  • Realista, para que a meta não seja exageradamente alta a ponto de não ser alcançada.
  • Datada. Ou seja, com prazo determinado.

Estes são os termos originais. Alguns autores alteram algumas palavras da sigla, mas não modificam o sentido.

Há diferença entre meta e objetivo, como se vê, e ambos são elementos fundamentais de diversos programas de gestão adotados por equipes que produzem conteúdo. Para não alongar, vou citar apenas dois deles:

  • PDCA, método muito antigo, que foi ainda hoje é presente na indústria e por vezes é adotado em marketing de serviço.
  • OKR, desenvolvido pela Intel e adotado por empresas inovadoras, como Uber, Google, LinkedIn e Twitter, entre outras.

Dobrar a meta… ou o objetivo?

Uma confusão envolvendo metas ficou famosa no Brasil em julho de 2015. A então presidente Dilma Rousseff se embananou ao falar de metas do governo para a criação de novos empregos.

Deixe de lado todo o calor da discussão política tão polarizada. Debater política não cabe neste post, cujo caráter é técnico. Apenas avalie tecnicamente o que Dilma disse:

“Nós não vamos colocar uma meta. Nós vamos deixar uma meta aberta. Quando atingirmos a meta, dobramos a meta.”

A frase ficou sem sentido, certo? Mas, sabendo a diferença entre meta e objetivo, seria possível afirmar sem sobressaltos o que parece ter sido a intenção da ex-presidente. Seria algo mais ou menos assim:

“Não vamos estabelecer uma meta neste momento, mas nosso objetivo é acelerar a criação de empregos.”

Ou alguma coisa nessa linha.∞

Cassio Politi
Cassio Politi é fundador da Tracto e do All Metrics. Foi em 2016 palestrante do Content Marketing World, o principal evento do tema no mundo, em Cleveland, nos Estados Unidos. Nesse mesmo ano, foi apontado pela Traackr como o 9º mais influente profissional de marketing de conteúdo da América Latina. E aparece na lista dos 50 mais influentes do mundo publicada pelo Top Blogger.

Foi eleito o profissional de content marketing do ano pela Digitalks em 2015. É desde 2014 o único sul-americano a compor o seleto júri do Content Marketing Awards. É autor do livro Content Marketing - O Conteúdo que Gera Resultados, publicado em 2013. Presta consultoria para grandes empresas brasileiras e multinacionais. Já conduziu palestras, treinamentos in company e cursos abertos em 25 estados.

→ Siga no Twitter: @tractoBR.
→ Veja o perfil completo de Cassio Politi.

Este post foi originalmente publicado em 26 de setembro de 2012 e atualizado em 16 de junho de 2017.

Veja mais posts em Definição de content marketing
Você tem autorização para republicar este post em seu site. As condições indispensáveis para isso são: (1) Dar o devido crédito para a Tracto; (2) Criar um link de seu site para este post.

Post relacionado

Pesquisa contesta evangelizadores de inbound: vendedores só telefonam para 13% dos leads

Este post apresenta o contraste entre o discurso de conversão de leads em vendas adotado p…